domingo, 11 de dezembro de 2011

Poesia de Mandacaru (Zé Vieira)


Zé Inácio também canta
Com o João vitoriano
Um martelo alagoano
E o poema da santa
Luiz lê também encanta
Com suas belas canções
E Xexeu com seus bordões
Agradando a freguesia
É um show de poesia
Contagiando milhões.
Mandacaru

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Agenda do poeta Rosaneto Freitas

POETA ROSANETO
CANTORIAS AGENDADAS


Dia 09/12 Lagoa Redonda Fortaleza com Judivam Macêdo;

Dia 10/12 no Triangulo Chorozinho com Rosaneto e  Edmilson Saldanha;

Dia 16 em Independência com Rosaneto e Chico Chagas;

Dia 17/12 em Crateús com Rosaneto e Chico Chagas;

Dia 23/12 Cauipe em São Gonçalo do Amarante com Rosaneto e Ary Teixeira;

Dia  no aniversário do prefeito de Ocara com Rosaneto, Louro Branco, Valdir Teles e Moacir Laurentino.

 A TODOS UM FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!
CONTINUAREMOS NO PRÓXIMO ANO
COM A PROTEÇÃO DE DEUS

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

X FESTIVAL DE VIOLEIROS ACONTECE NO ESPAÇO DOS COMERCIÁRIOS DOMINGO

05/12/2011 - 08:26 No domingo, 11 de dezembro, acontece na cidade a décima edição do Festival de Violeiros de Salvador no Espaço Cultural dos Comerciários, em Nazaré, a partir das 14h com entrada franca. O evento busca reconhecer a importância da literatura de cordel enquanto patrimônio histórico e cultural do povo nordestino e brasileiro, além de divulgá-la para as novas gerações.

Foram selecionadas sete duplas de violeiros repentistas e cordelistas que cantarão repentes em diversas modalidades, a exemplo de sextilha, quadra, mote de 7, mote de 10, beira mar, martelo agalopado, rojão, pernambucano e martelo  alagoano.  O Festival é apresentado por Bule-Bule, e o encerramento contará com a apresentação do grupo de samba Semente da Roça (Salvador-BA). As duplas receberão um troféu de participação e classificação, e terão publicadas suas obras em um folheto de cordel confeccionado pelo evento.

Mesmo sendo de origem bastante remota e dotado de simplicidade, o cordel não deixou de dialogar com a atualidade e manteve sua característica principal: relatar os acontecimentos do cotidiano. Política internacional, ecologia, corrupção e até Internet já viraram temas de cordel. Diante de tantas inovações, os cordelistas urbanos tentam manter viva uma das tradições do cordel: a de homenagear seus antepassados.

Paraíba da Viola

A direção artística do Festival ficou por conta de Paraíba da Viola, repentista autodidata que mantém a Banca dos Trovadores em Salvador, na Praça Cairu, ao lado do Mercado Modelo. Homenageado em dezembro de 2005 pela Fundação Gregório de Matos como Poeta Popular, Paraíba da Viola é o atual Presidente da Ordem Brasileira de Literatura de Cordel (OBLC).

Realizado pela Ordem Brasileira dos Poetas de Literatura de Cordel e produzido pela Plataforma de Lançamento, o X Festival de Violeiros Repentistas de Salvador tem patrocínio do Governo Federal através do Prêmio Mais Cultura de Literatura de Cordel 2010 - Edição Patativa do Assaré.


SERVIÇO:

O QUE: X Festival de Violeiros Repentistas de Salvador
QUEM: Antônio Queiroz (Serrinha) e Davi Ferreira (Ichu); Leandro Tranquilino (Lauro de Freitas) e Zé Pedreira (Araci); João Ramos (Feira de Santana) e Caboclinho (Feira de Santana); Zé Francisco (Feira de Santana) e Bráulio Pinto (Serrinha); Antônio Maracujá (Riachão do Jacuípe) e Naldinho (Riachão do Jacuípe); Lavandeira (Valente) e Beija Flor (Lafaiete Coutinho); Lucas de Oliveira (Irecê) e Sabiá (Serrinha)
QUANDO: 11 de dezembro de 2011 (domingo), a partir das 14h
ONDE: Espaço Cultural dos Comerciários (Nazaré)
QUANTO: grátis
Realização: Ordem Brasileira dos Poetas de Literatura de Cordel
Produção: Plataforma de Lançamento
Patrocínio: Governo Federal através do Prêmio Mais Cultura de Literatura de Cordel 2010 - Edição Patativa do Assaré
Apoio: Comerciários de Salvador
Informações: (71) 3355-3341

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

A primeira edição do Canta Curió foi um sucesso de público!
 Os poetas Rosaneto e Antônio Jocélio conduziram a festa com maestria foi um verdadeiro show de poesia popular
 Realizamos um bingo para arrecadar recursos para a manutenção do prédio da Associação dos Moradores do Curió
 Eu, Getúlio (de blusa com detalhe vermelho), O presidente da Associação Josenias Gomes, a Vice-presidente dona Josilene fizemos a entrega do prêmio, um ventilador.





quarta-feira, 16 de novembro de 2011

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Casa do Cantador: Patativa do Assaré

Casa do Cantador: Patativa do Assaré: Nome Artístico: Patativa do Assaré Nome de Batismo : Antônio Gonçalves da Silva Filiação : Pedro Gonçalves da Silva e Maria Pereira da Si...

Casa do Cantador: Cego Aderaldo

Casa do Cantador: Cego Aderaldo: Nome Artístico: Cego Aderaldo Nome de Batismo : Aderaldo Ferreira de Araújo Instrumento : Viola Nascimento : Crato, 24 de Junho de 187...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Agenda de outubro do poeta Manoel Soares

CANTORIAS EM OUTUBRO
=================
NO DIA 08 CANTAREI COM O POETA CHICO PEREIRA NA AVENIDA PRESIDENTE DUTRA,47 VILA NOVA CIDADE,VERA CRUZ,STO AMARO,SÃO PAULO
UMA ORGANIZAÇÃO DO NOSSO AMIGO THIAGO.

NO DIA 09 CANTAREI NO JD.JAQUELINE,BUTANTÃ,SÃO PAULO.
UMA ORGANIZAÇÃO DO NOSSO AMIGO NEGRINO E AMIGOS..


NO DIA 15 CANTAREI COM O POETA ZÉ CÂNDIDO NA REGIÃO DE JABAQUARA PARA ZÉ MEDEIROS E AMIGOS.

NA SEXTA DIA 21 A PARTIR DAS 20H CANTAREI COM O POETA MANUEL FERREIA NA REGIÃO DE DIADEMA,SÃO PAULO.

MELHERES INFORMAÇÕES:8704-6263 COM MANUEL FERREIRA



GRANDE CANTORIA DE VIOLA

NO BAR E RESTAURANTE DO MIGUEL
SÁBADO DIA 22/10 A PARTIR DAS 20H
COM OS POETAS REPENTISTAS->ZÉ CÂNDIDO E MANOEL SOARES
RUA HELENA ZERRENE Nº31 BAIXADA DO GLICÉRIO,SÃO PAULO-SP

CONVIDAMOS TODOS NOSSOS AMIGOS PARA ESSE GRANDE MOVIMENTO

Mesmo com as dificuldades que o poeta repentista encontra para divulgar o seu trabalho nas grandes cidades, Manoel Soares não pára de lutar em defesa da cultura.
Aos 42anos de idade, sendo 20 de cantoria, continua em atividade, cantando e tocando principalmente para milhares de nordestinos que vivem na grande São Paulo. Além da famosa cantoria PÉ DE PAREDE, o poeta agita aniversários,campanhas eleitorais, inaugurações de bares e restaurantes.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011


Projeto cultural Canta Curió



I Canta Curió!

Na primeira edição do Canta Curió convidamos todos da comunidade para prestigiar uma
Cantoria de viola com os repentistas
Antônio Jocélio e Rosaneto no dia 18 de novembro (sexta feira) a partir das 20:00 horas
Na Associação dos Moradores do Curió ACMC – Gente de luta
Rua: Engenheiro Diogo Vital Cruz nº 380 / Curió Fortaleza CE Fone 3476 3473
CNPJ01.657.614.0001-03


Organização: ACMC – ASSOCIAÇÂO COMUNITÁRIA DOS MORADORES DO CURIÓ – GENTE DE LUTA
Apoio cultural:

 

  







domingo, 9 de outubro de 2011

Poesia de Zé Vieira


Zé Guerra Jesus chamou
Precisava dele lá
Pediu pra ele ajudar
Deste mundo o retirou
Seu espírito levou
Para celeste mansão
A matéria ta no chão
Da terra voltou pra terra
Apesar do nome guerra
Tinha paz no coração.
Mandacaru



Excelente companheiro
Gostava do que fazia
Amante da poesia
Compositor violeiro
Um artista Brasileiro
Cantava o seu sertão
Sextilha ,mote canção
Todos os temas da terra
Apesar do nome Guerra
Tinha paz no coração.
Mandacaru

Guerra um grande poeta
Humilde e trabalhador
Excelente cantador
Conduta simples correta
Sua rima era completa
Cantava com perfeição
Um defensor do sertão
Um filho do pé de serra
Apesar do nome Guerra
Tinha paz no coração.
Mandacaru 

No programa da Rio mar
Zé Guerra cantou assim
Que não queria seu fim
Distante do seu lugar
Mesmo vivendo a cantar
Também sentia saudade
Só teria a felicidade
Se voltasse a sua terra
Saudade de Zé Guerra
Que amigo de verdade.
Mandacaru

As composições de Zé Guerra


Cortesia de Mandacaru (Zé Vieira)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Poesia mandacaru


Tinha viola tocando  
De noite na Rio mar
Com Zé Guerra Zé Zilmar
Geraldo silva solando
Custodio apresentando
Na locução dando show
E Rosaneto anotou
Do ouvinte o recado
Do tempo bom do passado
Só a saudade ficou.
Mandacaru 

Poesia mandacaru


SOU FILHO DO CEARÁ
NETO E FILHO DE VAQUEIRO
CRESCI OUVINDO VIOLEIRO
APRENDI A IMPROVISAR
EU NÃO VIVO DE CANTAR
MAIS EU ESTUDO O TEMA
APRENDI FAZER POEMA
MOTE,SEXTILHA E CANÇÃO
NASCI E CRECI NO SERTAO
SOU SERTANEJO DA GEMA.
MANDACARU

Poesia de mandacaru


Fomos um dia cantar
Na casa do Zé vieira
Cajarana e Laranjeira
Zé Guerra e Zé Zilmar
O Zé Inácio foi lá
Geraldo silva chegou
Com Xexeu ele cantou
O mote solicitado
Do tempo bom do passado
Só a saudade ficou.
Mandacaru

quarta-feira, 14 de setembro de 2011


ADMIRO O POETA VIOLEIRO
QUE SE ORGULHA EM CANTAR O SEU SERTÃO!!!

Eu aplaudo de pé quando Valdir
Ao falar sobre o Rio São Francisco
Com coragem e até correndo risco
Pede ao Bispo pra obra prosseguir
Louro Branco, Amâncio e Moacir
Zé Cardoso, Feitosa e Sebastião*
Que descrevem tão bem nosso torrão
Como faz Vilanova e Granjeiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Eu sou fã de João Paraibano
Esse canta o sertão como ninguém
Sebastião, o da Silva esse também
É um grande poeta veterano
João Lourenço e Raimundo Caetano
Com Rogério Menezes faz questão
De mostrar o que tem na região
Desse nosso nordeste brasileiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Zé Viola Hipólito e Raulino
Desenvolvem tão bem os seus papeis
E no rol desses grandes menestréis
Estão Heleno Alexandre e Biu Salvino
Vem Zé Guerra e Dedé o Laurentino
Edvaldo Zuzu causa emoção
No relato que faz com precisão
O que ele descreve é verdadeiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Cito João Manoel em Cumaru
Tem Onildo Barbosa bom talento
Também lembro de Paulo Nascimento
Menestrel sem igual no Iguatú
Tantos vates que tem no Pajeú
Que nem cabem na minha relação
Pois a verve poética desse chão
Brota forte demais nesse celeiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Tem Daudeth e o irmão, Pedro Bandeira
Descrevendo o sertão, mitos e fatos
Mas a verve apurada Dos Nonatos
Extrapola os limites da fronteira
Em Panelas, nasceu nosso Oliveira
Que encanta cantando uma canção
Pavarotti cantava bem, mas não
Tinha a voz igual desse companheiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Pra que possa mostrar tudo que é bom
Vou citar Severino Dionísio
Chico Alves, Galdino e Acrísio
Daniel Olimpio, e Fenelon
Marivaldo dos Anjos mostra o dom
E os irmãos Pereira têm razão
Nordestinos da gema como são
Não iriam seguir outro roteiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Cada dia um novo menestrel
Nessa área começa a surgir
Como os jovens, João Lídio e Djair
E também Luciano Leonel
E se Jonas Bezerra é fiel
Nos trajetos da sua profissão
O Felipe Pereira entra em ação
Como nosso mais jovem mensageiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Carlos Aires 14/02/2010



*Em primeiro plano foi citado o grande poeta violeiro Sebastião Dias
Na estrofe seguinte foi citado outro grande poeta também violeiro, Sebastião da Silva.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

NaMariaNews: Alckmin gasta 9 milhões pela fidelidade do PIG (*) | Conversa Afiada

NaMariaNews: Alckmin gasta 9 milhões pela fidelidade do PIG (*) | Conversa Afiada:

'via Blog this'

NaMariaNews: Alckmin gasta 9 milhões pela fidelidade do PIG (*) | Conversa Afiada

NaMariaNews: Alckmin gasta 9 milhões pela fidelidade do PIG (*) | Conversa Afiada:

'via Blog this'

ADMIRO O POETA VIOLEIRO QUE SE ORGULHA EM CANTAR NOSSO SERTÃO !!!

ADMIRO O POETA VIOLEIRO QUE SE ORGULHA EM CANTAR NOSSO SERTÃO !!!:

'via Blog this'
Paredes estranhas em ritmo de seresta com o grande poeta Zé Viola

Clube do Repente

Clube do Repente:

'via Blog this'

Cifras.art.br - de Todos os artistas do site

Cifras.art.br - de Todos os artistas do site:

'via Blog this'

domingo, 28 de agosto de 2011

Espetáculo Trinca Mais Não Quebra DIAS 26,27 e 28 de AGO no teatro ICA


O projeto possibilitou uma real oportunidade de conhecer e descobrir as potencialidades artísticas das pessoas envolvidas na capacitação, que contou com noções básicas de teatro, produção executiva de eventos, técnicas em operação de luz e som e formação de plateias.
Sinopse
“Trinca, mas não quebra” é uma festa de casamento numa noite de Santo Antônio no sertão nordestino, mesclando de superstições e recordações lúcidas dos fogos de artifícios nas amarras de uma desesperada paixão entre dois adolescentes. A peça é um drama de fogueira no sítio Umburanas, quando Terezinha, uma noiva de 15 anos, descobre morrer de amor por seu ex-namorado que se faz penetra para resgatar publicamente o sentimento que o sufoca. Criando uma colagem de danças folclóricas e folguedos populares. É antes de tudo uma festa com cheiro de tragédia, daquelas contadas nos versos de literatura de cordel. Influenciado por ele, o espetáculo é um conto de São João com cheiro de milho assado. Onde tudo pode acontecer desde o corriqueiro incêndio de balão ao absurdo dos motes de cordel.

O espetáculo “Trinca, mas não quebra” tem texto de Eliézer Rolim e direção do teatrólogo Francisco Hernandez.
Assessoria

sábado, 27 de agosto de 2011

Criação de mandacaru (Zé Vieira)


Um poeta apaixonado
Canta as coisas da terra
Seu povo seu pé de serra
O tempo bom do passado
Mesmo estando afastado
Da família e do lugar
Sempre é bom se lembrar
Confesso que lembro tanto
Cante do jeito que eu canto
Pra não deixar de cantar.
Mandacaru 

Passeando na campina
Verdejante do inverno
Vi o sol trocar o terno
Vestindo a negra cortina;
Uma ave de rapina
Rainha do “alvoredo”
Lamentava num rochedo
A falta de claridade
Chora a noite com saudade
Do sol que dormiu mais cedo.
Mote:Fátima Marcolino
Glosa:Leo Medeiros


Eu não uso tatuagem
Nem qualquer pindurucai
Eu aprendi com papai
Preservar minha imagem
Pode parecer bobagem
Mais eu não quero mudar
Não sou de me infeitar
Com brinco,pince anelão
Sou matuto do sertão
Simples vou continuar.
Mandacaru






O sedutor sempre apela
Promete o sol e a lua
Pra ter a donzela nua
E tirar o melhor dela
Depois abandona ela
Vai aplicar outro golpe
Ela implora que ele volte
Mais ele lhe trata mal
Fingindo que não conhece
E a coitadinha padece
Sem sua pureza normal.
Mandacaru