quarta-feira, 14 de setembro de 2011


ADMIRO O POETA VIOLEIRO
QUE SE ORGULHA EM CANTAR O SEU SERTÃO!!!

Eu aplaudo de pé quando Valdir
Ao falar sobre o Rio São Francisco
Com coragem e até correndo risco
Pede ao Bispo pra obra prosseguir
Louro Branco, Amâncio e Moacir
Zé Cardoso, Feitosa e Sebastião*
Que descrevem tão bem nosso torrão
Como faz Vilanova e Granjeiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Eu sou fã de João Paraibano
Esse canta o sertão como ninguém
Sebastião, o da Silva esse também
É um grande poeta veterano
João Lourenço e Raimundo Caetano
Com Rogério Menezes faz questão
De mostrar o que tem na região
Desse nosso nordeste brasileiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Zé Viola Hipólito e Raulino
Desenvolvem tão bem os seus papeis
E no rol desses grandes menestréis
Estão Heleno Alexandre e Biu Salvino
Vem Zé Guerra e Dedé o Laurentino
Edvaldo Zuzu causa emoção
No relato que faz com precisão
O que ele descreve é verdadeiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Cito João Manoel em Cumaru
Tem Onildo Barbosa bom talento
Também lembro de Paulo Nascimento
Menestrel sem igual no Iguatú
Tantos vates que tem no Pajeú
Que nem cabem na minha relação
Pois a verve poética desse chão
Brota forte demais nesse celeiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Tem Daudeth e o irmão, Pedro Bandeira
Descrevendo o sertão, mitos e fatos
Mas a verve apurada Dos Nonatos
Extrapola os limites da fronteira
Em Panelas, nasceu nosso Oliveira
Que encanta cantando uma canção
Pavarotti cantava bem, mas não
Tinha a voz igual desse companheiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Pra que possa mostrar tudo que é bom
Vou citar Severino Dionísio
Chico Alves, Galdino e Acrísio
Daniel Olimpio, e Fenelon
Marivaldo dos Anjos mostra o dom
E os irmãos Pereira têm razão
Nordestinos da gema como são
Não iriam seguir outro roteiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Cada dia um novo menestrel
Nessa área começa a surgir
Como os jovens, João Lídio e Djair
E também Luciano Leonel
E se Jonas Bezerra é fiel
Nos trajetos da sua profissão
O Felipe Pereira entra em ação
Como nosso mais jovem mensageiro
Admiro o poeta violeiro
Que se orgulha em cantar nosso sertão!!!

Carlos Aires 14/02/2010



*Em primeiro plano foi citado o grande poeta violeiro Sebastião Dias
Na estrofe seguinte foi citado outro grande poeta também violeiro, Sebastião da Silva.

2 comentários:

  1. Olá caro Marco Aurélio estou passando por aqui para lhe agradecer pela publicação do meu poema, o Blog está muito bem elaborado estou ouvindo Zé Guerra e Geraldo Silva "Todo sertanejo chora se não chover no sertão", Além do Recanto Das letras também me encontra nesse endereço:http://www.luizberto.com/coluna/proseando-na-sombra-do-juazeiro-carlos-aires

    também no youtube POETACARLOSAIRES ainda http://poetacarlosaires.blogspot.com/ e também http://radiofrutuosoonline.blogspot.com/ nesses endereços você pode copiar e publicar os meus modestos trabalhos no seu Blog. Fraterno abraço, Carlos Aires

    ResponderExcluir
  2. É um prazer imenso poder postar seus versos neste blog e fique à vontade pra me enviar postagens. Abraços!

    ResponderExcluir